9_20170817-135032_1

Existe mesmo alimentos específicos que " turbinam" a nossa saúde?

Será que estamos vivendo um momento com mais vírus e bactérias circulando a nossa volta, ou estamos deixando um pouco de lado a qualidade da nossa alimentação e nos preocupando demais com os acontecimentos atuais, inclusive com os tais "super alimentos" que prometem milagres no nosso organismo?A resposta, ao meu ver, é sim para as duas perguntas.

Estudos recentes já têm nos mostrados que os vírus e as bactérias vem se modificando e se proliferando com uma velocidade muito maior do que há alguns anos atrás, tornando nos muito mais vulneráveis a tais contaminações. Mas por outro lado, nunca vivemos uma época onde comer de forma saudável fosse algo tão complicado.

Deixamos o nosso prato básico, o tradicional arroz com feijão, de lado e fomos buscar os tais "super alimentos" que irão promover os "tais super milagres" no nosso organismo. Será mesmo necessário tudo isso?

Claro que com as novas pesquisas nos trazendo informações importantes sobre os benefícios mais específicos de certos alimentos nos remete a uma evolução na ciência, mas será que precisamos abandonar antigos hábitos que sempre nos trouxeram bons resultados para substituí-los totalmente, radicalmente? Alguns alimentos viraram viloes do dia pra noite. E como nossos ancestrais viveram? E nós mesmos, como chegamos até aqui nos alimentando " desses viloes"?

De forma alguma, eu estou questionando os reais benefícios dos alimentos que a nova era da nutrição chama de -alimentos funcionais- e que possuem sim funções mais específicas no nosso organismo, nos trás. A minha questão aqui é promover uma reflexão ao, o que estamos fazendo com os nossos hábitos alimentares. Que herança cultural gastronômica vamos deixar às próximas gerações? 

Tenho certeza que, para quem está lendo este artigo, se parar um minuto e pensar em uma comida que o leva às lembranças da infância, na casa da avó, nas festas de família, saberá responder não só uma, mas várias comidas deliciosas e sempre com saudades de um momento muito especial. E os nossos filhos, terão esta mesma sensação daqui a 15, 20 anos?

Voltando ao tema inicial deste artigo, será que "turbinar" o nosso organismo, é buscar os tais " super alimentos " para nos fortalecermos contra os vírus e bactérias? A resposta é não e sim. Hum, e agora?

O que precisamos ter em mente é que o novo, as novas descobertas de alimentos saudáveis, devem acrescentar benefícios na nossa vida, mas não são o único caminho. Em outras palavras, podemos comer sim o nosso prato tradicional brasileiro arroz com feijão só que ficando atentos ao modo como ele é preparado, isto é, não abusar no óleo e não utilizar bacon por exemplo. Afinal, já evoluímos. Pesquisas mostram que as gorduras saturadas entopem as nossas artérias, então sejamos coerentes, vamos aproveitar os benefícios de estarmos em 2016, mas não ao radicalismo que nos cega a ponto de acharmos que tudo que fazíamos até ontem estava errado.

A excessiva preocupação de comer certo, nos faz esquecer do simples, é isso.Uma alimentação equilibrada é variada, colorida, composta de alimentos naturais, frescos como verduras, frutas e legumes; tem proteínas, carboidratos e gorduras insaturadas na sua maioria. E, claro, tudo na quantidade certa para cada necessidade, preparado com temperos naturais e acima de tudo, com muita energia boa, pois serão estes os principais ingredientes que vão realmente dar aquela turbinada na nossa saúde.